quinta-feira, maio 16, 2024
No menu items!
HomeNoticiasEmpreendedorismo feminino: quais os desafios que as mulheres ainda precisam enfrentar nesse...

Empreendedorismo feminino: quais os desafios que as mulheres ainda precisam enfrentar nesse meio?

Com certeza você já ouviu falar sobre empreendedorismo feminino e como esse cenário tem crescido no Brasil nos últimos tempos, não é mesmo? Para Cláudia Angélica Martinez — empresária e economista brasileira —, não é difícil encontrar matérias, podcasts e vídeos que abordam o assunto. No entanto, ainda existem desafios que as mulheres enfrentam neste meio, por isso, se você deseja saber quais são eles, confira este artigo até o final.

Quando falamos de empreendedorismo feminino, falamos sobre independência financeira e sobre o papel da mulher no mercado de trabalho. Mesmo se tornando, cada vez mais, um caminho alternativo para mulheres de diversas partes do país e de realidades financeiras diferentes, Cláudia Angélica Martinez relembra que existem obstáculos que ainda precisam ser vencidos, entretanto, isso não é motivo para desânimo, muito pelo contrário.

Qual o cenário do empreendedorismo no Brasil?

Pesquisas apontam que 27,4 de milhões de mulheres são empreendedoras no Brasil. Apesar de se tratar de um número expressivo, isso significa que apenas 34% de todos os donos de empresas do país são mulheres. Diante disso, como explica Cláudia Angélica Martinez, ainda há um caminho significativo a ser percorrido. 

Por outro lado, dados mostram que 45% das mulheres empreendedoras são chefes de domicílio. Em outras palavras, esse percentual representa mulheres empreendedoras que são as principais fontes de renda de suas famílias. 

Desafios para mulheres empreendedoras

Discriminação

De acordo com Cláudia Angélica Martinez, o preconceito de gênero ainda é algo que impera em nossa sociedade. Mulheres empreendedoras possuem dificuldade em conquistar linhas de crédito de financiamento, por exemplo, além de, muitas vezes, enfrentarem áreas do mercado que são dominadas por homens. Logo, ser mulher e estar no mundo do empreendedorismo é estar sujeita a situações como essas. 

Jornada dupla

Não é novidade que homens empreendedores podem se aproveitar do privilégio de poderem se dedicar de forma plena aos seus negócios, enquanto boa parte das mulheres precisam se desdobrar e enfrentar uma jornada exaustiva que não termina ao chegar em casa. Afinal, o número de horas que as mulheres dedicam às atividades domésticas é três vezes maior do que o número de horas dedicadas pelos homens. 

Assédio

Presente em toda nossa sociedade, infelizmente o assédio ainda é uma realidade na vida das mulheres. E, no mundo do empreendedorismo não é diferente. Um mapeamento da Laudes Foundation apontou que 76% das mulheres que trabalham já sofreram algum tipo de assédio moral ou sexual. 

Apesar disso, a economista brasileira Cláudia Angélica Martinez comenta que a presença do sexo feminino em cargos de liderança é um avanço para a sociedade como um todo. Por isso, é importante que haja a quebra de padrões impostos para que possamos reduzir as diferenças no mercado de trabalho entre homens e mulheres.

Além disso, o crescimento do empreendedorismo feminino ainda contribui para uma maior diversificação do mundo dos negócios, trazendo novas visões, ideias e perspectivas para a vida das mulheres. Incrível, né?

Mais Lidas